OGX SOBE 18,4% APÓS RUMORES SOBRE VENDA.

0
11

images|cms-image-000312106

No domingo, o jornal Folha de S.Paulo afirmou que a petroleira do grupo EBX, de Eike Batista, está negociando a venda de 40% para a russa Lukoil, num plano de resgate que também envolve a Petrobras; resultado: no dia seguinte, alta de 18,4% na Bovespa.

SÃO PAULO, 22 Abr (Reuters) – O principal índice de ações da Bovespa encerrou em alta pelo terceiro pregão consecutivo, seguindo o comportamento das bolsas externas e influenciado principalmente pelas ações das petrolíferas OGX e Petrobras.

O Ibovespa subiu 0,68 por cento, a 54.297 pontos, na máxima. Durante o pregão, o índice chegou a cair 0,94 por cento. O giro financeiro do pregão foi de 6,3 bilhões de reais.

Em Wall Street, o índice Dow Jones teve alta de 0,14 por cento, e o S&P 500 avançou 0,47 por cento.

“Continuamos com ambiente de volatilidade. Não há um cenário de confiança com a bolsa, então (investidor) fica olhando o cenário externo”, disse Silvio Campos, economista na Tendências Consultoria.

As ações de Petrobras e Vale, as de maior peso no Ibovespa, se firmaram após a melhora das bolsas dos EUA. Segundo Campos, a proximidade da divulgação dos resultados de ambas as empresas nesta semana, pode criar volatilidade às ações.

As ações preferenciais da Vale subiram 1,73 por cento, a 31,18 reais, enquanto as da Petrobras avançaram 1,57 por cento, a 18,77 reais.

Outra influência positiva para o Ibovespa foi OGX, que disparou 18,4 por cento, a 1,61 real.

No domingo, o jornal Folha de S.Paulo afirmou que a petroleira do grupo EBX, de Eike Batista, está negociando a venda de 40 por cento de para a russa Lukoil, num plano de resgate que também envolve a Petrobras.

Na semana passada, uma fonte havia informado à Reuters que executivos da Petronas, uma das maiores petroleiras da Ásia, consultaram autoridades do Brasil sobre o campo de Tubarão Martelo, área da OGX na bacia de Campos, uma sinalização de que as duas empresas estariam negociando o ativo.

Os papéis de outras empresas do grupo EBX pegaram carona. A mineradora MMX subiu 3,5 por cento. A LLX, de logística, teve ganho de 1,03 por cento.

Entre os destaques de baixa, Sabesp recuou 5,29 por cento, a 87,79 reais. Na sexta-feira, a empresa paulista de saneamento informou que seu Conselho de Administração aprovou a aplicação do índice de reposicionamento tarifário de 2,3509 por cento às tarifas atuais da companhia.

Bradesco encerrou o pregão estável, a 32,30 reais, após o banco ter informado pela manhã que fechou o primeiro trimestre com lucro líquido dentro do esperado pelo mercado, em meio a fraco crescimento do crédito e queda nas despesas com provisões para perdas com calotes.

Fora do índice, Kroton Educacional avançou 8,4 por cento, enquanto Anhanguera ganhou 7,76 por cento, após as empresas terem anunciado um acordo no qual a primeira vai incorporar a segunda numa operação envolvendo ações avaliada em cerca de 5 bilhões de reais.

(Por Roberta Vilas Boas)