Dilma se reúne com núcleo político do governo para discutir o atual cenário político.

0
277

Roberto Stuckert Filho/PR: Brasília - DF, 16/03/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante coletiva de imprensa. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

Presidente voltou a reunir, nesta manhã, o vice-presidente Michel Temer e mais nove ministros e auxiliares que integram o núcleo de coordenação política; objetivo é avaliar o atual cenário político; na última reunião, realizada no dia 16, o núcleo discutiu o impacto das manifestações contra o governo que aconteceram em várias cidades do país no dia anterior; ex-diretor da Petrobras Renato Duque é um dos transferidos.

Luana Lourenço – Repórter da Agência Brasil – A presidenta Dilma Rousseff começou a semana com uma reunião com o vice-presidente, Michel Temer, e mais nove ministros e auxiliares. É a terceira semana consecutiva que a presidenta reúne ministros para reunião de coordenação política no Palácio do Planalto. Além de ministros do PT, há representantes do PMDB e do PSD.

Participam do encontro de hoje (23) os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante; da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas; da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto; das Cidades, Gilberto Kassab; da Agricultura, Kátia Abreu; de Minas e Energia, Eduardo Braga; da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha; da Defesa, Jaques Wagner; além do assessor especial de Dilma, Giles Azevedo. A reunião começou por volta das 9h.

Na última segunda-feira (16), a reunião foi convocada para avaliar os protestos do dia 15 de março, em que manifestantes pediram a saída da presidenta Dilma, entre outras reivindicações. Na ocasião, os ministros de Minas e Energia, Eduardo Braga, e da Justiça, José Eduardo Cardozo, foram escalados para comentar as manifestações em nome da presidenta e reafirmaram que o governo reconhece a legitimidade dos protestos e está aberto ao diálogo.

Esta semana, Dilma deve indicar um novo ministro da Educação, após a demissão de Cid Gomes, na última quarta-feira (18). O ministro se envolveu em uma poêmica com o Congresso Nacional e disse que deixou o governo para evitar constrangimentos do Planalto com a base aliada.

 

Fonte:www.brasil247.com