Greve de Garis no Rio de Janeiro deixa a cidade coberta de lixo.

0
11
Caminhões da Comlurb são escoltados no Rio (Foto: Fábio Gonçalves/ Agência O Dia/ Estadão Conteúdo)

Caminhões de lixo da Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Rio (Comlurb) foram escoltados por segurança privada na sede da Guarda Municipal, na Leopoldina, Centro do Rio, na manhã desta sexta-feira (13). O motivo seria a greve de garis anunciada à 0h desta sexta-feira (12).

Lapa tem sacos de lixo acumulados nesta sexta-feira devido a greve dos garis (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Policiais faziam reforço em garagens e superintendência, visando a segurança dos trabalhadores que não aderirem ao ato. Por causa da greve dos garis, sinais da falta de coleta podiam ser vistos em diversas ruas da cidade, como arredores da Central do Brasil, Rua Uruguaiana, Avenida Presidente Vargas, e Glória.

A categoria decidiu pela paralisação por tempo indeterminado. Eles pedem aumento salarial de 40% e vale refeição no valor de R$ 27. Nesta sexta, a categoria irá se reunir em assembleia, a partir de 15h, na Cinelândia, também no Centro.

Segundo informações do RJTV, um plano de contingência para a coleta do lixo foi montado, que conta com escolta para aquelas que ainda estão trabalhando.

Paes aberto a negociações
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, comentou nesta sexta feira (13) a greve de garis que afeta a cidade desde a madrugada, se dizendo aberto a negociações. Ele, no entanto, lembrou que o momento do país é de crise e sugeriu que não faltaria mão de obra para eventuais trabalhadores substitutos.

“O momento é de crise do Brasil. Pessoas estão sendo demitidas. Se você chegar no Comperj falando que precisa de vagas emergenciais, 18 mil pessoas viriam para cá”, afirmou.
Paes falou da crise econômica também para sinalizar que o aumento seria “legítimo” e que, se pudesse, “pagaria mais salario aos garis do que aos secretários”, mas que os problemas fiscais impediriam a extravagância. “A gente paga o maior valor (de salários a garis) das capitais nacionais”, enfatizou.

Coleta reduzida
O Rio amanheceu nesta sexta com coleta de lixo reduzida. Em assembleia realizada na quinta-feira (12), os garis decidiram entrar em greve a partir das 24h. Uma decisão da Justiça do Trabalho tomada durante a madrugada definiu o fim imediato da greve dos garis, sob pena de multa diária de R$ 100 mil para o sindicato que representa a categoria. O documento foi assinado pelo desembargador do trabalho Theocrito Borges dos Santos Filho.

O órgão afirmou que a decisão tem relação com o descumprimento do prazo de 72 horas de aviso prévio para iniciar a paralisação. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou ainda o reforço policial nas garagens e superintendências da Comlurb para que nenhum trabalhador seja intimidado.

Na madrugada desta sexta, um cartaz na porta da gerência da Comlurb em Botafogo, na Zona Sul, anunciava a greve e carros da Polícia Militar e Guarda Municipal estavam de prontidão no local.

O Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação querem um aumento salarial de 47,7% e um reajuste no vale-alimentação de R$ 20 para R$ 27 por dia. A Comlurb ofereceu um aumento de 3% — o valor é abaixo da inflação.

Avenida Paulo de Frontin tem lixo acumulado (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

A Comlurb e o sindicato não sabiam informar até as 6h15 o número de funcionários que aderiram a greve, mas a empresa de coleta de lixo afirmou que o serviço estava sendo realizado de forma reduzida na manhã desta sexta.

A equipe do Bom Dia Rio não encontrou nenhuma equipe realizando a limpeza na região da Central do Brasil, no Centro. Às 7h já era possível encontrar lixo acumulado.

Ruas do Centro do Rio estavam sujas na manhã desta sexta (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

O G1 percorreu ruas da Lapa, do Rio Comprido e da Zona Sul do Rio e às 9h também era possível encontrar lixo espalhado e sacos de lixo para serem recolhidos. Em alguns locais, passageiros dividiam o espaço com a sujeira enquanto esperavam no ponto de ônibus.

A negociação entre a Companhia e o sindicato tem até o dia 31 de março para ser concluída. Até esta data todos os trabalhadores devem voltar aos trabalhos, decidiu a Justiça.

O presidente da Comlurb Vinícius Roriz informou que estuda a possibilidade de empresas privadas realizarem a coleta de lixo essencial enquanto os garis não voltem a trabalhar.

Greve dos garis começou às 24h desta sexta-feira (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Greve em 2014
No carnaval do ano passado, os garis do Rio cruzaram os braços por oito dias. O movimento foi liderado por um grupo de dissidentes e não contou com o apoio do sindicato. Toneladas de lixo ficaram espalhadas por toda a cidade enquanto durou o impasse entre a Comlurb e a categoria, que saiu vitoriosa. A companhia deu um aumento para os garis de 44% em 2014 — a remuneração chega a R$ 2.140.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1.

Lixo acumulado é visto na Lapa, noRio de Janeiro (RJ), na manhã desta quinta-feira (6), devido a greve dos garis da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb).  (Foto: Ale Silva / Futura Press / Estadão Conteúdo)

 Fonte:www.globo.com