Mulher é assassinada em Lafaiete com requintes de crueldade.

0
28

Em menos de 24h a população de Lafaiete em especial da região da Linhazinha conviveu com duas situações de atos extremos de violência. Depois do incêndio de um ônibus como possível ato de protesto pelo atropelamento e consequente morte de uma pessoa os moradores voltam a se assustar com o assassinato de uma mulher.

Maria Aparecida Milton foi assassinada, segundo a delegada Helenita Marques Píramo Ferreira (foto), com requintes de crueldade, dados os vários e profundos golpes, provavelmente de facão, com que foi atingida.  

O crime ocorreu por volta de 11h30min da manhã desta quarta-feira 06/02. A filha de Maria Aparecida, Beatriz Aparecida da Silva, informou ao Fato Real que a mãe estava saindo de casa para ir ao velório de Dário Aparecido Vieira que havia sido atropelado por um ônibus no fim de semana e morreu ontem.

O corpo de Maria Aparecida foi encontrado em um pasto próximo a casa onde morava com o marido na região conhecida como Pau de Óleo. A Polícia Militar foi acionada por uma pessoa que teria ouvido os gritos dela. Confirmado o homicídio a Polícia Civil assumiu as investigações. Já existe um suspeito, que seria uma pessoa jovem que já teve passagem pela polícia. Testemunhas  disseram ter visto um rapaz correndo com as roupas sujas de sangue e um facão nas mãos logo após o crime.  A  princípio as investigações não apontam nenhuma relação entre vítima e autor.

Apesar de informações extra-oficiais de que Maria Aparecida foi vítima de violência sexual antes de ser assassinada a delegada Helenita não confirmou a informação, preferindo aguardar as provas periciais.  Até o fechamento desta edição o corpo ainda estava no IML de Lafaiete onde passaria por necropsia. A delegada disse acreditar na prisão do suspeito nas próximas horas e não vê inicialmente nenhuma relação entre o assassinato e o episódio do incêndio do ônibus, apesar dos dois fatos terem ocorrido na mesma região.

A vítima

Maria Aparecida tinha 49 anos e era casada. Tinha duas filhas. O terceiro filho dela morreu no ano passado. Segundo familiares ela era pessoa pacata, que não saía muito, não trabalhava fora de casa e não teria envolvimento com droga.

Fonte: www.fatoreal.com.br