Corpo do empresário Marcos Matsunaga é exumado.

0
10

O corpo do empresário Marcos Matsunaga, diretor do grupo Yoki, morto no ano passado, foi exumado na manhã desta terça-feira (12). Sepultado no cemitério São Paulo, zona oeste da capital, o corpo foi levado por peritos ao Instituto Médico Legal (IML). O novo laudo pericial deve ficar pronto em dez dias.

A exumação é um pedido da defesa da ré confessa Elize Matsunaga, viúva de Marcos, que matou e esquartejou o empresário e deixou partes do corpo em vários locais da Grande São Paulo. O crime aconteceu em 19 de maio de 2012 e Elize está presa preventivamente. O objetivo é constatar o exato momento da morte do empresário. O primeiro laudo pericial, produzido no ano passado, atesta que Marcos ainda estava vivo quando foi decapitado.

A defesa contesta esse documento e afirma que o empresário morreu por disparo de arma de fogo e só depois foi esquartejado. A advogada Roselle Adriane Soglio, defensora de ré, argumenta que o novo laudo mostrará que Elize “fala a verdade ao dizer que Marcos morreu pelo disparo da arma de fogo”. Consequentemente, continua a advogada, o resultado deve derrubar pelo menos uma das qualificadoras da acusação de homicídio (uso de meio cruel). “Vamos brigar pela menor pena possível”, disse Roselle, em entrevista à Agência Estado.

A acusação de homicídio contra Elize Matsunaga contém mais duas qualificadoras: motivo torpe (movido por dinheiro) e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, as quais os advogados da vítima também tentarão derrubar. “Elize reagiu a uma injusta agressão do Marcos. Chegou uma hora que ela não aguentou tanta humilhação”, disse Roselle. Procurado, o promotor do caso José Carlos Cosenzo não concedeu entrevista.

Fonte: www.hojeemdia.com.br